quinta-feira, 15 de março de 2012

DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL


A drenagem linfática manual foi desenvolvida pelo terapeuta dinamarquês chamado Vodder em 1932.  Vodder observou que muitos de seus pacientes apresentavam constipação, retenção de líquidos e os ganglios linfáticos (linfonodos) alterados; intuitivamente começou a tratá-los com massagem estimulando esses gânglios (linfonodos). Seu método se tornou eficaz e hoje muito conhecido e utilizado.
Existem outras técnicas de drenagem como a de Leduc e Foldi que também são eficientes, entretanto foram baseadas em Vodder.

Seu objetivo é  auxiliar a eliminação dos fluidos e toxinas acumuladas no corpo que colaboram para a retenção hídrica, ou seja, inchaço (edema) através das manobras que devem ser suaves e lentas seguindo o trajeto do sistema linfático, assim a pressão superficial exercida durante as manobras não atingem o tecido muscular e nem o sistema venoso, portanto esse tipo de massagem não deve doer e nem causar hematomas (manchas roxas).
A massagem traz benefícios em pré e  pós-operatórios principalmente de cirurgias plásticas faciais, corporais e mastectomia (retirada do seio); celulite, edemas durante a gestação, etc.



Indicações:

Edemas (inchaço)
Circulação sanguínea de retorno comprometido
Pele irritada
Enxaquecas
Hipertensão
Pré e pós-operatórios

Contra-inidcações
Câncer
Inflamações crônicas
Trombose e tromboflebite
Hipertiroidismo
Insuficiência cardiaca congestiva
Hipotensão arterial
Estados febris
** O terapeuta deve verificar se existe alguma contra indicação e autorização médica para a realização da massagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário