segunda-feira, 31 de março de 2014

Plantas na culinária

Há várias plantas perigosas e com potencial toxidade para gestantes.

     Umas plantas podem provocar deformações do feto. Exemplo é a quina verdadeira (Cinchona calisaya). Desta planta se retira um alcalóide chamado quinino. Assim, esta planta é teratogênica (provoca deformações no feto).

     Outras plantas podem causar problemas sérios como hepatotoxicidade em fetos. Exemplo: é o confrei (Symphytum officinale). Esta planta causa venooclusão no fígado da mãe e do feto. No confrei há alcalóides pirrolizídicos. Esta é uma substância com esta propriedade tóxica reconhecida pela ciência.

     Outros grupos de plantas podem provocar aborto por agir sobre o útero. São as plantas com propriedades emenagogas (emeno = menstruação e, agogôs = o que conduz; assim: são plantas que fazem a mulher menstruar). Neste grupo de plantas estão (cito algumas para exemplificação):
     • Calêndula (Calendula officinalis);

Flor da Calêndola e abelha.

• Canela (Cinnamonium verum);
• Funcho (foeniculum vulgare);
• Linhaça (linum usitatissimum);
• Menta (Mentha piperita);
• Alecrim (Rosmarinus officinalis);
• Sálvia (Salvia officinalis).
     Contudo, há plantas que agem sobre o feto sem provocar aborto. Pode-se citar parto prematuro, malformação e peso baixo ao nascer. Dentre estas plantas podem-se citar duas muito usadas pelos humanos. O guaraná (Paullinia cupana) e a erva mate (Ilex paraguayensis). Esta última planta é muito usada no sul do Brasil. A erva mate é a erva que os sulistas usam para fazer o chimarrão.

     Em relação às plantas usadas na culinária, pode-se dizer que possuem óleos essenciais voláteis. Estas substâncias podem facilmente atingir o sistema nervoso central e ainda ter ação potencial para estimular a contração uterina e assim, causar aborto.

      Plantas que agem sobre o sistema nervoso central podem comprometer o desenvolvimento ou causar outros problemas. Um exemplo: o poejo (Mentha pulegium) que além de causar aborto e ser hepatotóxico; é neurotóxico.
Dentre estas plantas estão:
• Alecrim – Rosmarinus officinalis;
• Tomilho – Thymus vulgaris;
• Sálvia – Salvia officinalis; (abaixo)


• Orégano – Origanum vulgare;
• Menta – Mentha piperita;
• Manjericão – Ocimum spp.
     Contudo, vale destacar que estas plantas só foram citadas e serviram de exemplificação e não são as únicas que apresentam problemas ao serem ingeridas por grávidas indevidamente.

     Na gravidez use uma regra de ouro: fique longe de plantas medicinais. Se for usar qualquer tempero utilize-o em pequenas quantidades e evite usá-lo constantemente.

     Lembre-se que todas as plantas são em potencial perigosas e em especial na gravidez.


* Por Gilson Giombeli
www.harmonianatural.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário