terça-feira, 5 de agosto de 2014

TFT - Thought Field Therapy (Terapia do Campo do Pensamento)


É indescritível a alegria que se tem ao ver a satisfação das pessoas que conhecem e se tratam com o TFT. Temos só a agradecer ao Dr. Roger Callahan que ao longo desses 30 anos desenvolveu e aprimorou essa técnica maravilhosa com muita pesquisa, levando alívio e proporcionando uma melhor qualidade de vida a inúmeras pessoas ao redor do planeta. São milhares de histórias e depoimentos de agradecimento. Aqui segue mais uma do último livro do Dr. Callahan que nosso professor Leandro Percário está traduzindo:

                                     O Tempo fora distorcido

"No  começo  de  dezembro,  eu  recebi  um  encaminhamento  de  um  profissional 
preocupado  com  uma  paciente  idosa,  “Marie”,  que  foi  diagnosticada  com 
Transtorno  Obsessivo  Compulsivo  (TOC).  Isso  surgiu  imediatamente  após  a 
sua  cirurgia  coronária  uns  dois  ou  três  anos  atrás.  O  problema  parecia  girar 
entorno  da  crença  obsessiva  da  Marie  que  as  suas  filhas,  já  crescidas  e 
independentes,  (40  e  28  anos),  continuavam  pequenas  crianças;  Marie  se 
referia a elas como “pequeninas”  –  e acreditava que o senhor que morava com 
ela (Mike, seu marido) era o seu filho mais velho (41 anos). Ela também tinha 
dificuldade  em  reconhecer  a  sua  neta,  sempre  perguntando  quem  eles  eram 
quando a visitavam.
46
Na hora das refeições, ela preparava a mesa para cinco e ficava muito ansiosa 
quando  percebia  que  nenhum  dos  seus  “pequeninos”,  nem  o  seu  marido, 
tinham  voltado  para  casa  no  tempo  esperado.  Quando  o  Mike  procurava 
explicar a realidade da situação para a Marie, ela se tornava agressiva e brava, 
recusando-se a acreditar na versão que estava sendo apresentada a ela.
A  intervenção  psiquiatra  e  a  terapia  cognitiva  haviam  falhado  em  resolver  o 
problema  e os seus familiares começaram a acreditar que a falta de oxigênio 
no  seu  córtex  cerebral  –  como  consequência  da  cirurgia  anterior  –  era  a 
culpada.  O  transtorno  de  Alzheimer‟s  foi  colocado  em  pauta,  mas  eliminado 
posteriormente.  Finalmente,  uma  Ressonância  Magnética  realizada  mostrou 
uma  leve  deterioração  do  cérebro,  embora  ainda  dentro  dos  limites  do 
funcionamento cerebral normal. 
Quando  eu  visitei  a  Marie  e  o  seu  marido  Mike  na  sua  própria  casa,  para 
familiariza-me com a situação, eu, rapidamente, percebi que não se tratava de 
um Transtorno Obsessivo Compulsivo, mas o que eu podia chamar de “ilusão 
da distorção temporal.” O tempo, para Marie, parecia ter voltado em 25 anos, 
porém apenas na sua percepção familiar. Eventos cotidianos e situações eram 
claras  para  ela,  todavia,  quando  perguntava  pelos  seus  “pequeninos”,  ela  se 
referia  as  suas  filhas  crescidas  como  adolescentes  que  ainda  cursavam  a 
escola.  Além  disso,  quando  perguntava  do  seu  marido,  ela  pensava  que  ele 
estivesse no trabalho e o seu filho  a visitando, (quando, na verdade, ele estava 
a 3000 milhas, trabalhando em Londres).
Eu, então, expliquei para a Marie que gostaria de diagnosticá-la e tratá-la e que 
ela deveria pensar no seu problema o mais claramente possível. Infelizmente, 
Marie  vigorosamente  negou  que  ela  possuía  um  problema  e,  portanto,  não 
podia  pensar  nele.  Em  um  momento  de  inspiração,  eu  pedi  à  Marie  que 
pensasse nos seus “pequeninos” na escola.
Primeiramente,  eu  deduzi  que  a  sequência  de  tapping  para  TEPT  era 
apropriada. Não obtive resultados, visto que o problema da Marie era a cirurgia 
traumática  feita  anteriormente.  Eu,  então,  continuei  com  o  processo  de 
diagnóstico e encontrei uma outra sequência de  tapping  e uma mini Reversão 
Psicológica para a Marie. Depois de completar a sequência, Marie não mostrou 
mais nenhuma  expressão de aflição sobre os seus “pequeninos” e seu marido, 
que estava sentado ao seu lado.
Apenas para ter certeza, eu medi os resultados questionando a Marie.
47
Eu perguntei  a  ela sobre os seus “pequeninos” da  escola. Instantaneamente, 
ela me falou dos seus netos e o quanto ela os adorava. Quando eu perguntei 
quem era o senhor gentil que sentava perto dela, ela respondeu “meu marido.”
Para testá-la mais profundamente, eu a confrontei e a acusei de negligenciar 
“as suas próprias filhas que esperavam que a mãe as buscasse na escola.” Ela 
então se desculpou por me contradizer, porém apontou que elas não poderiam 
estar na escola, visto que as duas possuíam trabalho.
“Quem são os seus „pequeninos‟ então?” Eu perguntei a ela.
“Meus netos”, ela respondeu com rapidez.
Eu continuei com esse estilo assertivo de perguntas, todavia nenhum traço da
ilusão de distorção temporal pode ser reativado. O Mike pediu então para fazer 
perguntas  a  Marie  ele  mesmo,  e  ficou  maravilhado  quando  testemunhou  a 
completa resolução do problema. Um fato notável, também, foi que a resposta 
agressiva  dela  quando  confrontada  desta  forma  havia  desaparecido.  Marie 
pediu desculpas se alguma vez  enganou alguém,  o que  ela tinha certeza que 
não.  O  seu  marido  comentou  feliz  sobre  a  tranquilidade  de  sua  mulher  em 
responder às perguntas. 
Apenas para completar o tratamento, eu testei a Marie para várias toxinas  –  e 
descobri uma sensitividade para o café, açúcar e sacarina. Eu aconselhei a ela 
para manter distância destes itens, no qual o seu marido prometeu  monitorar 
na dieta dela.
Marie  está  agora  quase  completamente  livre  do  seu  problema,  com  apenas 
pequenas recaídas ocasionais que melhoram imediatamente ao serem tratadas 
novamente.
Discutindo  o  caso  com  o  Dr.Callahan,  nós  concordamos  que,  na  verdade,  o 
real fato que deu base para o problema foi a sua exposição às toxinas  –  neste 
caso, o gás anestesiante usado durante a sua cirurgia. Esta exposição também 
aumentou a sua sensibilidade para  outras toxinas, o que,  inicialmente, pareceu 
não gerar problema algum para a Marie.
Tais delírios  podem facilmente ter origem em  grandes  cirurgias  ,  assim como  o 
surgimento  da ansiedade. O fato  de o TFT ter  sido bem sucedido nesse caso 
aponta para uma explicação totalmente diferente da que os médicos costumam 
dar,  como,  por  exemplo,  diagnosticar  “degeneração  cortical”  para  os  que 
apresentam sintomas de demência."
- Iam Graham

Se você se interessou pela Terapia pode encontrar mais informações bem como terapeutas brasileiros no site: www.tftbrasil.com.br 
Quer um atendimento comigo? ou talvez uma Palestra? 
Entre em contato: (11) 55816026 ou (11) 976314023 
Presencial ou Skype 

Nenhum comentário:

Postar um comentário